“EPARRÊI Ó IANSÃ
ÉS DONA DO MEU AXÊ
Ó BELO OIÁ  – EPARRÊI !!!
SENHORA DOS VENTOS
SENHORA DAS NUVENS DE CHUVA
DENTRO DE MIM
RAINHA DOS RAIOS
TEMPO BOM
TEMPO RUIM...
SEJA EM QUALQUER TEMPO,
TUA ESPADA BRILHA,
DIZENDO QUE A BONANÇA CHEGOU
PARRÊI MINHA MÃE!
PARRÊI OIÁ”

Iansã: orixá  que rege os ventos, rainha dos raios. É Iansã quem domina os furacões e ciclones; orixá  do fogo, do calor, guerreira e regente das paixões.
Orixá  de temperamento firme, vibrante, principalmente porque está  ligada às tempestades, aos raios, a tudo que é imediato. Nada fica para depois.
Iansã, para proteger seus filhos, faz o sol virar luar.
O senso de decisão é a característica mais pronunciada de Iansã. Nenhum outro orixá concita-nos tão de perto, a tomar posições definidas em nossa própria vida.
Iansã  é um orixá feminino muito cultuado no Brasil, sendo figura das mais populares em nossa terra e também na áfrica, onde é predominantemente cultuada sob o nome de Oyá.  É um dos orixás que mais penetrou na Umbanda, talvez por ser um dos que se relaciona, no liturgia mais tradicional africana, com os espíritos dos mortos, que têm participação ativa na umbanda.
Em síntese, Iansã  é a força dos ventos. Quando concentrada num objetivo, pode ser devastadora. É totalmente imprevisível, destruindo todos os obstáculos que estiverem á sua frente, quando se trata de lutar por aquilo que quer. Ao mesmo tempo, pode agradar quando brando, acariciando as plantas, fazendo o ar mais leve.
É orixá do prazer, da sinceridade e da busca extrovertida da paixão e da felicidade, o símbolo da mulher guerreira que gosta de lutar e tem tanto na guerra como sexo – ou seja, nas emoções fortes, arrebatadoras e totalizantes – a fonte para continuar vivendo.
Senhora da ciência e da decisão, alerta-nos  para que possamos nos reformular interiormente, permite que sejamos capazes de justificar um correto viver e um permanente aperfeiçoamento, guiando-nos no caminho do amor, da verdade e da justiça.
Algumas referências a Iansã:
Iansã  é a deusa dos ventos e das tempestades, este orixá  oferece muito otimismo e ainda auxilio nas grandes paixões. Possui um espírito aventureiro como nenhum outro e ama a liberdade acima de qualquer coisa. É alegre e esta sempre de bem com a vida. Considerada a mãe da ventania e dos trovões, Iansã impressiona pela sua independência. Quando os orixás se apresentam nas cerimônias, a primeira entidade feminina a surgir é Iansã. Sua imagem está ligada à uma mulher guerreira, que defende tudo com unhas e dentes, mas o amor e a alegria que ela espalha em todos os momentos são também grande características sua. A rainha dos ventos, dos raios e das tempestades tem um temperamento apaixonado, dominador e corajoso. Essa sua força pode ser mal-interpretada e passa a imagem de autoritarismo. Seus filhos podem se mostrar pessoas mal-humoradas e extremamente geniosas. São capazes de mudar suas vidas em nome de um grande amor ou de um ideal. Extrovertidas e leais, elas geralmente não conseguem esconder suas alegrias e tristezas.
Eparrêi Oyá!!!

Cor a ser mentalizada: coral

O que ser mentalizado: uma tempestade.

Elemento: água e ar

Cântico: vibrantes, fortes. Seus cânticos espelham independência, poder e vontade decisiva.

Dia em que se comemora Iansã: 04 de dezembro (de acordo com o calendário oficial de umbanda).

Dia da semana: quarta-feira ou segunda-feira.

O que pedir a este orixá: coragem, força nas batalhas, nas guerras diárias e interiores.

Mineral: cobre e estanho

Saudação: “Eparrêi oiá ! Eparrêi oiá !
Eparrêi  (vento majestoso)
Oyá  (nome por que é conhecida Iansã)
“salve os majestosos ventos de oyá”. 

Flores:  de preferência que tenha a tonalidade coral, lírio, gerânio, flor de romã, gérbera laranja, 

Frutas: groselha, romã, manga rosa, framboesa, caju, pêssego, jenipapo, pitanga.

Ervas: folha de fogo, bambu, cambuí, levante, umbaúba, sensitiva, casuarina, pinhão roxo, pinhão branco, espirradeira, espada de Iansã, gerânio, dormideira, erva prata, cipó chumbinho, flamboião.

Bebidas: gengibre com água de chuva, rapadura com água de chuva, sumo de suas próprias ervas e frutos, champanhe.

Comidas para Iansã

 

Obs.: a higiene, tanto da cozinha como dos cozinheiros, é importantíssimo, toda s as pessoas que lidam na cozinha, antes tomar banho de ervas. Acender uma vela em respeito aos orixás e cantando pontos e fazendo seus pedidos para o orixá . 

Acarajés para Oyá/Iansã 
 

(vamos  avisar que já se encontra esta massa pronta no mercado) 
Numa frigideira coloque o dendê  e deixe esquentar bem, com a colher vá  formando os bolinhos e fritando até dourar.depois de frito  parta ao meio sem separar as partes e coloque  o molho de camarão dentro. 
Molho de camarão 
½ kilo de camarões médios
Sal, alho, limão, coentro
1 vidro de azeite de dendê
1 cebola ralada
½ kilo de tomate bem maduro
1 limão pequeno 
Modo de fazer: 
Limpe o camarão, lave bem e tempere com sal , alho e um pouquinho de limão.
Polvilhe o coentro por cima
Deixe descansar por 2 horas +ou- 
Refogue em uma concha de azeite de dendê a cebola ralada e quando esta murchar  ( não deixar  dourar) apenas, acrescente os camarões, sem o caldo do tempero
Deixe em fogo brando, tampe a panela e depois de 10 minutos acrescente, então, o caldo do tempero do camarão  e os tomates ( sem as peles e sementes) e deixe em fogo brando até o tomate desmanchar e o camarão ficar cozido ( 30 a 40 minutos).
Prove o sal.
Se necessário acrescente um pouco de água.
Quando estiver  um molho bem vermelho e grossinho, coloque uma pimentinha.
Quando abrir fervura retire do fogo.
Espere esfriar o molho
Coloque dentro do acarajé  que já está frio e cortado 
Coloque este molho dentro do acarajé 
 
Maçã  para Iansã
Ingrediente
Nove maçãs
½ kilo de milho amarelo
Nove rosas vermelhas, ou  coral ou lírio coral.
1 vela coral de 7 dias
Uma garrafa de champanhe 
Modo de fazer
Cozinhar com água as maçãs.
Cozinhar o  milho
Colocar  em um alguidar , em cima, as maçãs e as rosas vermelhas.   Ou 
Coral ou lírio coral
Acender a vela no meio
, abrir a champanhe e deixar ao lado. 

Pepino para iansã


Sete pepinos
Uma garrafa de dendê
Cheiro verde
Sete maçãs
I vela de 7 dias coral
Nove rosas corais ou lírio ou por fim se não achar rosas vermelhas
Um alguidar
Uma garrafa de champanhe 
Modo de fazer
Cortar os pepinos em rodelas, juntamente com as maçãs.
Colocar no alguidar  no centro as rodelas de pepino
As rodelas de maçã ficarão nas bordas,
Colocar em cima do pepino primeiro o dendê
Colocar o cheiro verde  picado em cima só do pepino depois do dende
Atenção: o dendê e o cheiro verde será posto apenas nas rodelas de pepino.
Com as flores e a vela  proceder como se faz na casa. 

Alface para Iansã 

I molho de alface bem bonito ( o alface tem que ser novo e viçoso
1 cenoura ralada
I tomate maçã  grande
1 maçã
Cheiro verde
1 vela de 7 dias coral
1 garrafa de champanhe
Prepare: em um alguidar
Abre se o alface como se fosse uma grande flor
Colocar o tomate aberto em 4 no meio de prato
A maçã também dividida em quatro será intercalada com o tomate
E salpicar  a cenoura no meio do prato junto com salsinha e cebolinha
Por fim regue com dendê 
Acenda a vela de 7 dias e enfeite com as flores que poderão ser levadas no prato.
Coloque no copo de Iansã a champanhe 
 

 

Milho para Iansã

½ kilo de milho de galinha
7 caquis
7vela coral de sete dias
Flores variadas coral ( lírio rosa coral...etc...)
1 champanhe
Preparo do prato
Colocar num alguidar um punhado de milho.
Abrir os caquis em quatro e ir fazendo uma beirada de flores com os caquis.intercalando com as flores.
No meio colocar a vela de 7 dias. 
O abebê  da oxum
Material necessário:
-vinte e um chuchus
-camarão seco
-cebola ralada
-azeite de oliva (azeite doce)
Maneira de fazer:
- ralar os chuchus, com as cascas. Separam-se no final as rodelas do chuchu, bater os chuchus, adicionando sete gemas de ovos, bater até ficar em ponto de fritada, misturar também às claras, colocar por cima de seis acaçás, colocar mel em cima dos mesmos. Colocar tudo na cachoeira e entregar a oxum.